Pedra, madeira, placas de barro, papiro e pergaminho, cânhamo,
     capim e palha, trapos velhos; todos foram materiais para escrita
     usados pela humanidade durante séculos.

     105 d.c. - A invenção do papel é atribuída a T’sai Lun na China,
     fabricado a partir de fibras de cânhamo trituradas e revestidas
     de uma fina camada de cálcio, alumínio e sílica.

     1000 até cerca de 1830 d.c. - Trapos velhos eram o insumo
     básico da indústria de papel, interrompido, pois acreditava-se
     que os restos de pano contribuíam para a propagação da peste.

     1719 d.c. - O naturalista francês Reaumur sugere o uso da
     madeira como matéria-prima para o fabrico de papel, ao observar
     que as vespas mastigavam madeira podre e empregavam a pasta
     resultante para produzir uma substância semelhante ao papel na
     confecção de seus ninhos.

     1838 d.c. - Produção de pasta de palha branqueada.

     1860 d.c. - Invenção do papel couchê e lançamento do papel
     higiênico em rolo.

     Dentre todas as espécies de árvores utilizadas no mundo para a
     produção de celulose, o eucalipto brasileiro é a que tem menor
     ciclo de crescimento, somente sete anos. Altamente resistente a
     doenças, possui troncos retos e curtos, o que proporciona fibras
     de características distintas. Os plantios de eucalipto podem ser
     considerados a grande conquista rumo ao controle total de
     matéria prima.


     Gramatura de Papel:
     É a espessura (peso) do papel (63, 75, 90, 120 ..... gramas)
     A umidade é o inimigo número 1 do Papel.

     Papel off-set:
     Papel offset alcalino produzido a partir de fibras de celulose
     branqueada de eucalipto, com elevado grau de brancura e
     excelente opacidade.

     Papel couchê:
     Brilhante ou fosco com revestimento nos dois lados, indicado
     para impressos de qualidade em policromias no sistema offset:
     catálogos, cartazes, posters, folders, malas-diretas, revistas,
     livros, convites, capas de cd, etc.

     Papel Autocopiativo:
     Papel revestido quimicamente, com formulação composta de
     corantes:

          Primeira via: Formulação de microcápsulas (corantes)
          no verso da folha, denominado via CB (coating back).
          Este papel é sempre utilizado como primeira via de
          formulários, possibilitando a cópia para a segunda via.

          Intermediária: Formulação de microcápsulas (corantes) no
          verso da folha e revelador na frente, denominado via CFB
          (coating front and back). Este papel é sempre utilizado
          como vias intermediárias de formulários, possibilitando
          o recebimentoe a transmissão DA cópia para as demais
          vias.

          Ultima via: Composta de um revelador na frente da
          folha, denominado via CF (coating front).
          Este papel é sempre utilizado como última via de
          formulários, possibilitando o recebimento da cópia.

     Fotolito:
     É uma película na qual é impressa, por impressora própria,
     a arte final desenvolvida em computador; após isto grava-se
     em uma chapa de alumínio que irá na máquina de off-set.

     Impressão em Policromia:
     Conferir se fontes estão anexadas ou em curvas.
     Conferir Bitmaps se estão convertidos em CMYK.
     A prova de cor é importante para dirimir dúvidas em relação
     às tonalidades das mesmas.

     Para Recuo e Bordas:
     manter distância mínima de 5mm até o corte ou vinco).

     Erros Gráficos:
     Peça para alguém conferir os erros ortográficos no trabalho,
     porque geralmente quem está na frente do computador não
     consegue achá-los.
    
     Maior segurança:
     Mantenha em seu computador o PDF, porque pode
     ser utilizado a qualquer momento e em qualquer tipo
     de computador e, ainda, ser impresso em qualquer
     impressora. Isto impede eventuais problemas de
     fontes, tão conhecidos entre profissionais que
     utilizam arquivo aberto.


Home
Dicas
Produtos
Glossário
Curiosidades
Orçamento
Quem somos
Fatos e Fotos
Fale Conosco